Destaques

 

 

UDEMO | 17/02/14 10:51 | Atualizado em 17/02/14 10:55


Matéria publicada no Portal do Uol, 17 de fevereiro de 2014.

Sisu: Aluna de 15 anos é aprovada na Federal do Acre e garante matrícula na Justiça

Suellen Smosinski

A estudante Siham Kassab tem apenas 15 anos e já está matriculada no curso de medicina veterinária na Ufac (Universidade Federal do Acre). Ela conseguiu na Justiça o certificado de conclusão do ensino médio, apesar de ter cursado apenas o 1º ano. 

"Quando vi que tinha sido aprovada fiquei emocionada, em seguida entrei em choque. Eu e minha família vibramos - meu irmão também havia sido aprovado. Foi uma emoção para todos"

Siham Kassab, aprovada no Sisu aos 15 anos

Siham contou que a decisão de entrar na Justiça para garantir o direito à matrícula foi muito discutida com os pais e também com a equipe da escola em que estudava.

"Minha família apoiou minha decisão. Eu me sinto pronta pra ingressar na faculdade e encarar o desafio", conta a caloura.

Ela foi aprovada em 5º lugar para o curso de medicina veterinária por meio do Sisu (Sistema de Seleção Unificada) 2014, que utiliza as notas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). 

Essa foi a primeira vez que a aluna fez a prova do Enem – ela nunca havia prestado outros vestibulares. A pontuação obtida para entrar no curso foi 664,15.

A escolha por veterinária foi fácil: "Eu sabia o que queria, tenho paixão e vocação pela área e isso me motivou para escolher. Foi a realização de um sonho minha aprovação". 

Siham contou que com a nota do Enem também conseguiria ingressar na UFG (Universidade Federal de Goiás) e em outras faculdades: "Mas minha família optou por eu ficar aqui [em Rio Branco] com a estrutura que eles poderiam me oferecer e apoio durante o curso". 

Maturidade

"Muitos questionam a maturidade de uma jovem de 15 anos. Siham sempre foi muito precoce em seu desenvolvimento intelectual e esse aspecto foi discutido inclusive com os professores que a acompanharam no 1° ano do ensino médio", relatou Mônica Morais, mãe da garota.

Segundo Mônica, ela primeiro solicitou a certificação do ensino médio com base nas notas do Enem. A escola informou para a mãe que uma regulamentação do Conselho Estadual de Educação proíbe a instituição de expedir o documento.

"Na semana em que saiu a relação dos aprovados a Dra. Rozária Maia [advogada da família] entrou com o pedido de liminar na Justiça Estadual e no penúltimo dia da matrícula na Ufac, no final da tarde, saiu o resultado da liminar com parecer favorável e obrigando a escola a expedir o certificado de conclusão do ensino médio considerando as médias obtidas no Enem", explicou a mãe da estudante. 


 

 

 

 
Filie-se à Udemo
Decálogo
 
 
 
 
 
 
Parceria UMC